20 de fevereiro de 2010


Não quero um amor prisioneiro, quero um que me dê asas e alcance terras jamais vistas.
Não quero um amor inseguro, quero um amor certeiro, concreto e sem dúvidas.

Quero um amor que ultrapasse o tempo, distância, divergências...
Que ao menos seja eterno.


Não quero um tempo veloz, quero um que seja brando e paciente.


Quero um amor que seja brando e paciente,
Quero um tempo que seja eterno.

Nenhum comentário: