4 de fevereiro de 2010

O meu guerreiro

No momento pra mim o que tá sendo mais difícil é controlar o guerreiro que mora dentro de mim. Ele tá louco pra combater, louco pra tomar qualquer atitude que seja, na verdade ele quer fazer qualquer coisa que ocupe o seu tempo e o faça parar de pensar no que está por vir.
Mas ao mesmo tempo meu guerreiro tá cansado, tá preocupado, tá inseguro...
Que sensação mais estranha essa: ele ainda tem esperanças mas também não quer acreditar muito nelas com medo de se iludir.
Porém o meu guerreiro tem certeza que se esforçou, que deu seu melhor, preparou-se para a batalha e tá só esperando, ansiosamente, o fim dessa chegar. E finalmente poderá dar um grito de vitória ou então começar sua nova preparação, para uma nova batalha.
E essa, ah! Para essa batalha ele estará mais forte e confiante, determinado... como sempre.

(Em resposta a um depoimento que recebi da minha irmã Flávia que eu amo muito, esse amor não tem comparações e nem fim)

Um comentário:

Anônimo disse...

A ilusão talvez seja aliada da esperança, por isso, continue com fé, com esperança, não tenha medo de se iludir. Há um mundo que torce por ti, mesmo sem saber, pois há um mundo que torce pelo bem, por um futuro de paz.
E voce sabe, torço muito por ti, e tudo se relaciona ao que te disse: "Deus escreve certo por linhas tortas". A maior prova disso é nossa amizade. E quem sabe, se não for desta vez, será em outra muito melhor!

"Síndrome da duvida absoluta. Um bom guerreiro não foge a luta"
E não esqueça: Busque Equilibrio, essas são as horas em que mais precisamos dele!
Pati.