28 de fevereiro de 2012

Em minhas eternas inseguranças

Eu queria ter o poder de mudar esse meu jeito.
Se eu pudesse, escolheria ser alguém que deixa as coisas fluirem, naturalmente. Eu deixaria de imaginar as situações, de sofrer antecipadamente, de enxergar formigas do tamanho de lobos.

Eu queria ter esse poder, mas não tenho.
Hoje descobri que alguns fantasmas serão nossas eternas companhias. Descobri também que o poder de ignorá-los eu tenho e estou aperfeiçoando cada vez mais.

Eu sou assim: imagino, sofro, vivo, respiro aliviada. Essa sou eu em minhas eternas inseguranças.

4 comentários:

Flavia Brito disse...

Ó menina, vc sabe bem a força que tem!!!!
É hora (e sempre é hora) de morfar!!!!!!!rsss
Beijoooooo

Júnior Shin. disse...

Isso é normal, Fernanda. Cabe a você saber lidar com esses momentos.

Eu queria ter o poder de prever as coisas antes de quebrar a cara... Mas, infelizmente, você só sabe depois que acontece.

Beijo, Fe.

Eveline Gonzalez disse...

Concordo, e muito, que alguns fantasmas são nossas eternas companhias... Mas por não terem mais vida, ignorá-los torna-se cada vez mais fácil. E é preciso, pra conseguir enfrentar os novos dias das nossas!
Fernanda, adoro esse seu blog, que você chama de refúgio... É muito bom poder ter acesso(literalmente) a ele. Não é sempre que consigo ter um tempo pra ler o que você escreve, mas sempre que tenho, o faço.
Parabéns, e boa sorte nesse desafio muuuuito legal ao qual você se propôs! =)
Beijos..

Leninha disse...

...mas só o fato de vc saber lidar com seus fantasmas já é de uma grande coragem! Fantasmas pra enfrentar quem não os tem?! Uns mais assombrosos, outros meia boca, e assim todos caminham em direção da superação! Força sempre, vc sabe que estarei ao seu lado sempre! E vc até aqui já é uma vencedora, acredite!
Beijos! ♥